• Crônica: Entradas
  • Crônica: Paraíso
  • “Tudo vai ficar bem” é o que diz Chris Coimbra em “Como Você me Olhava”
  • Opinião: Pop, rock, country ou jazz. Queremos Lady Gaga!
  • A voz e a sensibilidade de Ana Vilela; confira a entrevista

Crônica: Entradas

Ele entrou shopping, assim como alguém entrou no estacionamento e que, logo depois, entrou em seu coração já no primeiro contato. Não era possível imaginar que aquele alguém se revelaria tão importante. Alguém que o faria sorrir inúmeras vezes em apenas um mês. Alguém imprevisível. Alguém capaz de deixá-lo sem palavras.  Hoje, ele vive um momento de realizações e, após gostos e desgostos, 2017 apresentou o alguém que ele esperava….

Read More >>

Crônica: Paraíso

  Entra no ônibus, desce, entra no carro, beija o garoto. Calma. Tudo que acontece ali fora passa a ser algo uma outra vida, pois tudo que acontece ali dentro é um sonho em movimento. Músicas tocam, olhares trocam, assuntos brotam. Ao voltar para o mundo exterior, os sentimentos saltam do coração e formam uma espécie de cobertor, que cobre tudo com os mais puros sentimentos. Do lado de fora,…

Read More >>

“Tudo vai ficar bem” é o que diz Chris Coimbra em “Como Você me Olhava”

  Um som acústico incrível, um sotaque delícia, uma voz simplesmente suave e uma sonoridade bem calma, daquela que te faz refletir sobre a letra que é cantada por Chris Coimbra. O jovem paulistano canta “tudo vai ficar bem, tudo vai ficar bem”, na música “Como Você me Olhava”, seu primeiro lançamento oficial, após três anos de produção.   O moço apresenta um som extremamente relaxante em seus quase quatro…

Read More >>

Opinião: Pop, rock, country ou jazz. Queremos Lady Gaga!

Após uma temporada de Jazz, ao lado de Tony Bennet, Lady Gaga resolveu aparecer novamente, em outubro de 2016, com um álbum, mais uma vez, diferente do que costumava apresentar em sua época de “Poker Face” e “Bad Romance”. “Joanne” trouxe uma Gaga country/pop, algo que agradou parte de seus fãs, mas que desagradou uma outra parte que gritava para seu retorno ao mundo pop. As letras do disco soavam…

Read More >>

A voz e a sensibilidade de Ana Vilela; confira a entrevista

Uma voz doce de apenas 18 anos tem chamado a atenção nos últimos meses, uma voz que canta de um jeito encantador e que diz versos de uma sensibilidade única; essa voz pertence à paranaense Ana Vilela, que você já deve ter ouvido por aí, com a sua música “Trem Bala”. No início de abril, a moça passou por Belo Horizonte e o Culturaliza BH teve uma conversa exclusiva com…

Read More >>

Crônica: Palavras da alma

  Às vezes sentimos algo e não falamos, guardamos para nós mesmos e nos privamos ao máximo de expor aquele sentimento, principalmente quando ele chega de forma inesperada e vai desenvolvendo-se com uma agilidade surpreendente. Um desses sentimentos pode ser chamado de amor. Em algumas situações ele passa por um desenvolvimento lento, porém, existem outras em que ele passa por um desenvolvimento tão rápido, que você mesmo não acredita que…

Read More >>

Crônica: Variações

Ele acreditava em signos. Pensava que todos de um determinado signo eram de um mesmo jeito. Um bobo, já que ainda não conhecia o mapa astral e que a variação de signos poderia influenciar de uma forma maluca ou de uma forma benéfica. Antes de saber dessa variação, ele imaginava que o signo de um ser, que nas próximas linhas será descoberto como um ser incrível, influenciaria algo. O ser…

Read More >>

Crônica: Descobrindo uma nova vida

Durante muito tempo fiquei preso em uma vida muito igual. Às vezes havia alguma alteração, mas nada em grandes proporções. Apenas pequenos detalhes que faziam o papel de algo diferente. Enquanto vivia essa vida do mesmo, mal sabia que em outros “mundos” tudo acontecia diferente. Um diferente conhecido e já imaginado. Na mesma hora em que eu estava assistindo à uma série qualquer ou tomando catuaba no centro de BH,…

Read More >>

Crônica: Sensação esquecível

Depois de muita procura, aquela sensação de “ufa, agora vai” ou “ufa, eu encontrei” chegou! Ela chegou de um jeito inesperado e diferente, mas chegou. Como ela chegou não importa, o que importa é que ela estava ali. Estava abrindo os braços pra mim. Estava me deixando ansioso. A sensação estava me fazendo ter pensamentos, sonhos e momentos inesquecíveis e esquecíveis (se é que existe essa palavra), mas como uma…

Read More >>

Crônica: Mordida…

Em uma tarde que conseguia ser ensolarada e nublada, ao mesmo tempo, ele conseguia ser feliz e sonhador, ao mesmo tempo. E foi nessa mutação de sentimentos que ele conseguiu ser mordido. Uma mordida metálica. Ele sentiu algo que não sentia. “O sol não pode sumir!” pensava ele. Assim como aquele sentimento que foi despertado muito antes da mordida não poderia desaparecer. Existem mordidas que machucam, que sangram, que deixam um…

Read More >>